domingo, 29 de julho de 2012

Evangelho Dominical: JOÃO 6,1-15


Naquele tempo, 1Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades.
2Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes.
3Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com seus discípulos.
4Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.
5Levantando o olhos, e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: 
     “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?”
6Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer.
7Filipe respondeu: 
     “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”.
8Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: 
   9“Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isto para tanta gente?”
10Jesus disse: 
  “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.
11Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes.
12Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!”
13Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido.
14Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: 
     “Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo”.
15Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.
Palavra da Salvação. Glória a vós Senhor

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Cidadão Xiquexiquense: SAMUEL RODRIGUES SOARES


Faleceu no dia 26 de julho de 2012, aos 91 anos de idade, o Sr. Samuel Rodrigues Soares que durante muitas décadas exerceu a profissão de farmacêutico em Xique Xique (BA).
Nascido em 14.06.1921,  Samuel era  filho do Farmacêutico Sr. João Rodrigues Soares, nosso segundo Prefeito Municipal de Xique Xique (BA)  e de D. Neufrides de Assunção Soares, e, mesmo sendo Ibiraba sua terra natal, sempre considerou Xique Xique como seu torrão tendo ali vivido, constituído sua família e  exercido a sua profissão. Além da atividade comercial no ramo de farmácia, Samuel dedicou-se ainda às atividades de produtor rural e à política partidária, tendo nessa última exercido a função de  vereador em Xique Xique  nas legislaturas 1948-1951 e 1955-1959, e presidido a Câmara em 1950 e 1957. Homem dinâmico, Samuel foi, também,  um dos fundadores da Loja Maçônica de Xique Xique, criada no ano de 1948, onde teve participação destacada. Do seu casamento, em 1947, com D.  Zita Magalhães Soares, nasceram os filhos: Salmson Hugo Rodrigues Soares, Solange Rodrigues Soares, Zenara Rodrigues Soares, Zilmara Rodrigues Soares, Salmeron Rodrigues Soares, João Rodrigues Soares Neto e Samuel Rodrigues Soares Filho. 
Samuel Soares foi um dos construtores da cidade de Xique Xique (BA). 
Foto: XiqueSampa



domingo, 22 de julho de 2012

Evangelho Dominical: MARCOS 6, 30-34


Naquele tempo, os apóstolos se reuniram junto de Jesus e lhe contaram tudo o que tinham feito e ensinado. 
Ele disse-lhes: 
     «Vinde, a sós, para um lugar deserto, e descansai um pouco!» 
Havia, de fato, tanta gente chegando e saindo, que não tinham nem tempo para comer. Foram, então, de barco, para um lugar deserto, a sós. Muitos os viram partir e perceberam a intenção; saíram então de todas as cidades e, a pé, correram à frente e chegaram lá antes deles. Ao sair do barco, Jesus viu uma grande multidão e encheu-se de compaixão por eles, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E começou, então, a ensinar-lhes muitas coisas. Palavra da Salvação.

terça-feira, 17 de julho de 2012

FRASE BÍBLICA

ENTÃO COMEÇOU A CENSURAR AS CIDADES EM QUE SE REALIZOU A MAIORIA DE SEUS MILAGRES, POR NÃO SE TEREM CONVERTIDO.
Mt 11,20

domingo, 15 de julho de 2012

Baixio de Xique Xique (BA): PROJETO DE IRRIGAÇÃO


BAIXIO DE XIQUE XIQUE: O PROJETO

Informo aos seguidores e leitores deste Blog que a  população de Xique Xique (BA) não concorda com a denominação de BAIXIO DE IRECÊ dada ao Projeto de Irrigação que está sendo implantado no Município de Xique Xique (BA), local onde estão situados o BAIXIO e a ÁGUA necessários à existência do referido Projeto.
Denominá-lo de BAIXIO DE IRECÊ é um grande engano e, acredito, mesmo, que os habitantes da cidade de Irecê (BA)  não devem sentir-se confortáveis com essa indevida denominação pois, sabem, mais que ninguém, que naquele Município não tem baixio, não tem água para irrigação e fica a uma distância de mais de 100 km da margem do Rio São Francisco, local da tomada d'água (FOTO).
Como acredito não serem eles os autores  da errada denominação e sim que tenha partido de algum técnico que desconhece a realidade dos fatos, bem que os habitantes da cidade de Irecê poderiam ser parceiros dos Xiquexiquenses nesse pleito de mudança do nome do Projeto para BAIXIO DE XIQUE XIQUE, a não ser que queiram compactuar com essa  usurpação.

                                PROJETO DE IRRIGAÇÃO BAIXIO DE XIQUE-XIQUE (BA)

                  O Projeto de Irrigação Baixio de Xique Xique irá ocupar uma  área total  de  95.119 ha,com uma reserva ambiental da ordem de 192.566 ha, devendo ser utilizados 58.659 ha na irrigação propriamente dita, divididos em lotes para pequenos, médios e grandes  produtores. 
               A implantação do Projeto está prevista para ser feita  em 9 etapas, assim distribuídas: 1ª etapa: 4.723 ha (em implantação); 2ª etapa: 5288 ha (em implantação); 3ª Etapa: 4.834 ha; 4ª Etapa: 4.480 ha;  5ª Etapa:  6.137 ha;  6ª Etapa:  6.315 ha;   7ª Etapa:  6.542 ha;  8ª Etapa:  7.640 ha;  9ª Etapa 12.700 ha.

                
                   Culturas principais que serão implantadas na área do  Projeto: A área irrigada contemplara as culturas de abacaxi, abóbora, algodão, banana, cana-de-açúcar, cebola, coco, feijão, goiaba, limão, mamão, maracujá, milho, melancia, melão, pimentão, tangerina, tomate e uva, café, cana-de-açúcar e pinhão manso.
                Outras atividades: O Projeto prevê também um sistema de produção baseado na caprinovinobovinocultura, consorciado a outras atividades complementares, tais como apicultura, fruticultura e avicultura.
                 Etapa 1ª - 4.723 ha:  as obras civis estão concluídas. As adutoras e estações de bombeamento e de pressurização encontram-se em fase de montagem. Esta etapa destina-se a pequenos e médios produtores.
                Etapa 2ª - 5.288 km: Está em fase de implantação. Essa etapa será destinada a lotes empresariais e está com as adutoras em fase de aquisição e montagem
                  Etapa 3ª - 4.843 km:  deverá ser a próxima etapa a ser implantada.

LOCALIZAÇÃO
                       O Projeto Baixio de Xique Xique está localizado a cerca de  500 Km de Salvador, no trecho final do médio São Francisco, nos Municípios de Xique Xique (BA) e Itaguaçu da Bahia, sendo que a tomada d'água fica situada no município de Xique Xique (BA), no Distrito de Boa Vista.

ACESSO
           O acesso ao Projeto se dá através da Rodovia BA-052, que liga Xique-Xique a Feira de Santana e, também por uma estrada estadual que sai diretamente da cidade de Xique Xique (BA) para o  distrito de Boa Vista, que por sua vez interliga-se à malha viária nacional através da BR-116.
CANAL PRINCIPAL
        O Canal Principal tem uma extensão total de 84 km 

INFRA-ESTRUTURA
         É composta pelos seguintes Sistemas: 1) Sistemas de captação de água no Rio São Francisco; 2) Sistema de condução de água ao longo do perímetro;  3) Sistema de drenagem; 4) Sistema viário; 5)  Sistema de distribuição elétrica.

OBJETIVOS DO PROJETO
                1) Fixar o homem a terra;     2) Aumentar a produção agrícola;      3)Aproveitar terras férteis;     4) Tornar as terras produtivas com a irrigação;      5) Incentivar a implantação de agroindústrias;

 Benefícios previstos
        Quando da conclusão do Projeto serão criados  180 mil empregos diretos e indiretos e  beneficiadas 240 mil pessoas.

                

Evangelho Dominical: MISSÃO DOS DOZE

    MARCOS  6, 7-13
Chamou os doze discípulos, começou a enviá-los dois a dois e dava-lhes poder sobre os espíritos maus. Jesus recomendou que não levassem nada pelo caminho, além de um bastão; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura. Mandou que andassem de sandálias e que não levassem duas túnicas. E Jesus disse ainda: "Quando vocês entrarem numa casa, fiquem aí até partirem. Se vocês forem mal recebidos num lugar, e o povo não escutar vocês, quando saírem, sacudam a poeira dos pés como protesto contra eles." Então os discípulos partiram e pregaram para que as pessoas se convertessem. Expulsavam muitos demônios e curavam muitos doentes, ungindo-os com óleo.

sábado, 14 de julho de 2012

COMEMORAÇÃO DO DIA

HOJE SE COMEMORA O DIA MUNDIAL DO HOSPITAL E O DIA INTERNACIONAL DA LIBERDADE.

FRASE BÍBLICA

ENTÃO OUVI A VOZ DO SENHOR QUE DIZIA: "QUEM ENVIAREI, E QUEM IRÁ POR NÓS?" E EU DISSE: "AQUI ESTOU, ENVIA-ME".
Is, 6,8

Foto Antiga de Salvador:

Terreiro de Jesus 

Cantinho da Seresta: O TROVADOR



O Blog JUAREZ MORAIS CHAVES fez uma seleção de músicas genuinamente brasileiras, tocadas e cantadas na segunda metade do século passado, principalmente nos anos 1960, "cifradas" para violão e que, semanalmente, estarão sendo divulgadas.

Foto Aérea de Xique Xique (BA): AV. J. J. SEABRA

Bonita foto aérea de Xique Xique (BA), com destaque para a famosa Av. J.Seabra, sentido leste/oeste, que serve de diâmetro, dividindo a cidade em partes Norte e Sul.
No canto superior esquerdo vê-se o início da rodovia BA.52, que liga Xique Xique (BA) a Salvador. 
Foto Edson Nogueira

Foto de Edson Nogueira: SAÚDE PEDE SOCORRO

Foi um momento bonito e histórico. A população de Xique Xique (BA), reunida e motivada, percorre a cidade em busca de melhor assistência à saúde.
Essas atitudes demonstram espírito de cidadania e somente com esses movimentos se consegue melhor qualidade de vida, principalmente no que tange aos serviços públicos.
O povo deve continuar com essas passeatas em prol da saúde, da educação, da segurança e da restauração e manutenção dos equipamentos públicos, principalmente em anos de eleições, quando os políticos são mais "sensíveis" a esses reclamos dos eleitores.
Que o povo não se intimide, pois está no caminho certo.
Foto: Edson Nogueira

Foto Antiga de Xique Xique (BA): PRAÇA D. MÁXIMO

Fotografia do ano de 1960.
O jardim apresenta, ainda, a mesma planta original.
Pode-se notar as árvores conhecida como "barriguda" cada uma plantada nos 4 grandes canteiros que formavam o jardim.

Dinheiro, Deuses & Poder: AE TESSERA

Moeda do período de Tibério César (14-37 tempo de Cristo), com tamanho de 21mm e peso de 4,56 g.
Descrita como cena heterossexual erótica, pode indicar o que essas fichas compravam em bordéis.
Se é verdade o que diz Suetônio  na biografia clássica dos doze Césares, Tibério foi um dos mais depravados imperadores romanos.
Procuradores como Pôncio Pilatos, que operavam na Judeia dominada pelos legionários, rezavam segundo a mesma cartilha.
Fonte:Coleção Spínola - Nomus Brasiliana

Foto Interessante de Xique Xique (BA): AGUADEIRO

O nosso serviço de abastecimento de água potável às residências de Xique Xique (BA), prestado  pelo SAAE, foi criado pelo Decreto Municipal nº 9 de 15.12.1967 (há 45 anos), pelo então Prefeito Municipal José Barbosa e Silva (1967/1971 - 6º Prefeito eleito pelo povo).
Antes disso, as residências eram abastecidas pelo "AGUADEIRO" pessoa que, pilotava um jumento carregado com  4 barris de madeira ou "carotes", como eram conhecidos, cada um contendo aproximadamente 20 litros d'água.
Os ricos da cidade tinham o próprio jumento com os "carotes" e um jovem criado da casa que  pilotava o animal. 
Os menos ricos compravam, a "carga" d'água vendida por algum aguadeiro autônomo.
Os pobres transportavam a água em latas conduzidas na cabeça.
Todos apanhavam a água diretamente do Lago Ipueira utilizando a "rampa do capim" que ficava em frente ao Mercado Municipal.
A foto ilustra muito bem como era feito o serviços de abastecimento de água, em Xique Xique, antes da chegada da água encanada.

Lago Ipueira, em Xique Xique (BA): ANCORADOURO NATURAL

O nosso Lago Ipueira, formado de calmas águas, é um ancoradouro natural para as embarcações, principalmente as grandes barcas a motor que ali "estacionam", todos os dias deixando ou levando mercadorias e passageiros 

Foto do Rio São Francisco: O VAPOR E O CANOEIRO

Add caption
O canoeiro ou "paqueteiro" como era conhecido em Xique Xique (BA) o remador da canoa ou "paquete", mesmo "tendo nascido os dentes" remando no Rio São Francisco nunca deixou de ter um respeito e uma veneração para com os vapores que por ali navegavam.
Este da foto queda-se admirado com a passagem  do belo e imponente "vapor" Benjamim Guimarães.

Enchente de 1979 em Xique Xique (BA): PRAÇA D. MÁXIMO

A cheia do Rio São Francisco no ano de 1979 foi uma das maiores que atingiram a cidade de Xique Xique (BA), só perdendo, segundo as testemunhas, para a do ano de 1949.
Na foto vemos o jardim da Praça D. Máximo totalmente coberto pelas águas, tendo o aspecto de um lago.
A Igreja Matriz do Senhor do Bonfim ficou totalmente ilhada.

Foto Denúncia: MERCADO DO PEIXE EM XIQUE XIQUE (BA)

Não é possível que o nosso Mercado do Peixe ainda continue na forma mostrada nesta foto.
A nossa cidade além de vocacionada para a atividade pesqueira é detentora de uma Faculdade de Engenharia de Pesca e por isso não se justifica a forma como é comercializado o pescado.
A nossa população merece mais respeito e mais higiene.
Cabe às nossas autoridades Estaduais, Judiciárias e Municipais  resolver esse grave problema que atinge a comercialização do peixe em Xique Xique (BA), vez que além da má imagem que fica demonstrada a falta de higiene e o descaso dos comerciantes já se tornou um caso grave de saúde pública.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

COMEMORAÇÃO DO DIA

HOJE SE COMEMORA  O DIA DO ENGENHEIRO SANITARISTA.

FRASE BÍBLICA

EU VOS ENVIO COMO OVELHAS NO MEIO DE LOBOS; SEDE, POIS, PRUDENTES COMO AS SERPENTES E SIMPLES COMO AS POMBAS.
Mt 10,16

Parque Aquático de Xique Xique (BA): OS BRINQUEDOS

O Parque Aquático Ponta das Pedras, de Xique Xique (BA), está localizado na parte sul da cidade e bem próximo do Hospital Julieta Viana.
Segundo o nosso historiador Casimiro Neto, a localização do Parque é exatamente onde situava-se a sede da "Fazenda Praia", fundada há mais de 300 anos, pelo português Theobaldo José Miranda Pires de Carvalho, Fazenda essa que deu origem, no ano de 1700, a um arraial e em 1714 à freguesia  de Senhor do Bonfim e Bom Jesus de Chique-Chique, a qual no ano de 1832, por emancipação, transformou-se no Município de Xique Xique (BA).
Inaugurado em junho de 2000, o Parque Aquático Ponta das Pedras é atualmente  o principal polo de lazer da cidade e de todos os Municípios vizinhos que nos fins de semana para lá se dirigem em busca de uma merecida diversão.
Os animais, geralmente pre históricos, são os que mais agradam à criançada.
Os adultos se divertem nos tobogãs desafiadores. 

Arte Sacra na Bahia: CÁLICE

CÁLICE EM PRATA LAVRADA DO SÉCULO XVIII.
A PEÇA PERTENCE AO MOSTEIRO DE SÃO BENTO EM SALVADOR BAHIA.
Fonte: Bahia-Tesouros da Fé
Foto: Sérgio Benutti

Histórias do Crédito Rural: VENDEU O BEZERRO E A MÃE

Durante os 31 anos em que servi numa instituição bancária oficial, por um período de 20 anos trabalhe na concessão de crédito rural.
Existia em cada Agência um profissional técnico agrícola cuja função era acompanhar e orientar in loco as atividades financiadas para que o empreendimento rural obtivesse êxito.
Sempre que voltava do campo, esse profissional apresentava à chefia pequenos relatórios  sobre cada um dos clientes visitados.
Eventualmente esses relatórios eram enriquecidos com frases interessantes que apenas representavam  a forma de o técnico relatar, sucintamente, a situação de cada  empréstimos.
Aqui, o relatório do Técnico Agrícola, relatava o caso de um pequeno empréstimo  pecuário destinado a construção de um pequeno curral e aquisição de 3 vacas leiteiras  destinadas a fornecer  leite à família do pequeno agricultor e, eventualmente, um bezerro que era vendido para o custeio de outras despesas. 
Empréstimo de prazo de pagamento superior a 5 anos e que, em anos anteriores a aplicação do crédito já havia sido dada como correta pelo técnico visitador. As visitas seguintes  destinavam-se  a acompanhar o empreendimento e oferecer assistência técnica ao pequeno produtor. 
              No quarto ano do financiamento ao chegar ao imóvel rural para mais uma visita, o técnico constatou  que a melhor vaca e justamente a  que havia dado cria no ano anterior, não mais estava fazendo parte do pequeno rebanho.  
           Questionando o porque da ausência do animal, o cliente lhe respondeu que os últimos meses foram de grande apertura financeira por motivos de muita seca e de enfermidades de seus filhos. 
          Por isso, quando chegou o momento de pagar a 4ª prestação viu que não dispunha do numerário suficiente e, como sempre manteve os seus negócios em dia, resolveu, com muita pena, se desfazer da vaca e da sua cria.
         O técnico conhecedor da retidão do cliente acatou as explicações, mesmo porque mais da metade do empréstimo já havia sido paga e a venda da vaca e do bezerro não iria por em risco os pagamentos do Banco e nem o desenvolvimento do negócio. Repassou, no seu Laudo, para a administração da Agência, todas as suas ponderações e parecer sobre a atitude do cliente, deixando claro, sob o seu ponto de vista, que o cliente agira corretamente, pois, não desejava que o seu nome ficasse “sujo” perante os órgãos de proteção ao crédito bem como junto ao pessoal do Setor rural que tão bem lhe atendia quando ali chegava a procura de empréstimo.
       Após ter certeza de que tudo o que tinha para dizer estava ali no Laudo, encerrou suas ponderações  com uma lapidar frase: 
         “O cliente vendeu o bezerro e a mãe para pagar  o crédito”

Barcas e Carrancas do Rio São Francisco: O BARQUEIRO

"O barqueiro é um comerciante ambulante..." Talvez as cabeças de cavalo colocadas nas barcas recordassem as tropas do sertão, cujas mulas madrinhas, muito enfeitadas, levavam um pequeno espanador na cabeça. 
Nas carrancas o espanador tinha também a função de espantar o mau olhado. 
Com a mesma finalidade usavam um pé de cróton pendurado no teto da cabine de comando.
Fonte: "Carrancas do São Francisco" , de Paulo Pardal.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

COMEMORAÇÃO DO DIA

HOJE SE COMEMORA O DIA DO ENGENHEIRO FLORESTAL.

FRASE BÍBLICA

SE ALGUÉM NÃO VOS RECEBER  OU NÃO OUVIR VOSSAS PALAVRAS, SACUDI A POEIRA DOS PÉS AO SAIRDES DAQUELA CASA OU DAQUELA CIDADE.
Mt 10,14

quarta-feira, 11 de julho de 2012

terça-feira, 10 de julho de 2012

FRASE BÍBLICA

JESUS PERCORRIA TODAS AS CIDADES E ALDEIAS ENSINANDO NAS SINAGOGAS, PREGANDO O EVANGELHO DO REINO E CURANDO TODA ENFERMIDADE E DOENÇA.
Mt 9,35

segunda-feira, 9 de julho de 2012

COMEMORAÇÃO DO DIA

HOJE SE COMEMORA O DIA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA.

FRASE BÍBLICA

JESUS VIROU-SE E, VENDO-A, DISSE: "FILHA, TEM CONFIANÇA, A TUA FÉ TE CUROU".  E NAQUELE MOMENTO A MULHER FICOU CURADA.
Mt 9,22

domingo, 8 de julho de 2012

Esporte em Xique Xique (BA): ESPORTE CLUBE PENHAROL


Esporte Clube Penharol
 – 26 de julho de 1981 – 
 No dia 26 de julho de 1981 os atletas Cícero Araújo Barreto, grande goleiro dos times de Xique Xique (BA) e Bertolino a Costa, excelente atacante, convocaram alguns companheiros e juntos fundaram o ESPORTE CLUBE PENHAROL, no intuito de  ampliar os espaços para dar oportunidade, descobri e revelar novos valores para  o futebol de Xique-Xique.
Sediado na Rua Carlos Santos, 333, centro da cidade, o A sede da instituição teve como endereço a Rua Carlos Santos, nº 333, centro da cidade Penharol marcou sua presença em  diversos campeonatos municipais, cumprindo as finalidades para as quais seus fundadores o idealizaram, revelando para seu elenco principal e  para a Seleção da cidade inúmeros atletas de qualidade.
Fonte: "Senhor do Bonfim e Bom Jesus de Chique Chique - História de Chique Chique", do Prof. Cassimiro Neto.

Crônica: MINHA VIDA BANCÁRIA - Canário Belga

O CANÁRIO BELGA
          Juarez Morais Chaves

 Assumi a Chefia do Crédito  Rural da Agência do BNB em  Simão Dias (SE)  em setembro de 1969, exatamente na semana da  Exposição Agropecuária da vizinha  Lagarto (SE), distante 25 km, que, naquele tempo, já era considerada uma das principais cidades  de Sergipe com uma grande criação de bovinos das raças Nelore e Indubrasil. Era  a maior exposição anual de gado do interior daquele Estado.
Cheguei à Simão Dias, com minha família, num domingo a tarde e só tive tempo de jogar os móveis dentro da casa que tínhamos alugado  e deixar para  desembalá-los no final da exposição, o que aconteceria na sexta-feira seguinte. Arrumei  o mínimo necessário para passarmos a semana, pois, já no dia seguinte, segunda feira, partiria para a cidade de Lagarto no carro do gerente da Agência. Apesar da pequena distância de 25 km decidimos  ficar almoçando no parque de exposição, vez que, não obstante a pequena distância, a precária estrada de barro estava impraticável pelas recentes chuvas e não era prudente darmos 4 viagens por dia. Deveríamos estar de volta a Simão Dias lá pelas 18 horas.
Lagarto (SE) era a cidade pólo daquela região agropecuária, situada num município  detentor de excelentes pastagens e de um plantel de bovinos capaz de fazer inveja aos melhores criadores do Brasil. Vinha gente de todos os recantos, expor os seus animais, comprar novos reprodutores e matrizes ou mesmo apenas passear e conhecer os melhores espécimes das raças Nelore e Indubrasil.
Ao lado dos animais expostos dezenas de outras atividades correlatas eram apresentadas com predominâncias de artefatos de madeira de lei feitos pelos melhores  carpinteiros e marceneiros da região, tais como  equipamentos  para casa de farinha ou mesmo currais, bretes e seringas bastante utilizados pelos pecuaristas no manejo do gado. Ali também se encontrava toda espécie de frutas da região, comidas típicas, folclores dos mais diversos  que se espalhavam pela grande área do Parque Agropecuário e   enchiam as manhãs, tardes e noites dos visitantes no decorrer daquela semana.
Os bancos financiadores  dispunham de bons locais de funcionamento colocados a disposição pela Prefeitura onde ficavam instalados os funcionários, maquinas e material de expediente para atender a toda a demanda da feira. A intenção era resolver tudo no decorrer da semana inclusive fazendo a liberação do dinheiro para o vendedor do gado evitando assim que os expositores de fora tivessem que permanecer na cidade por mais uma semana com gastos de estada.
Quando uma pequena folga permitia  saiamos em passeio pelo Parque   cuidando, no entanto, de deixar um ou dois funcionário de plantão para atender algum agropecuarista que procurasse o Banco.
Foi numa dessas caminhadas que eu me detive num estande de um expositor  conhecido que vendia equipamentos de madeira destinados a montagem de casas de farinha. Era o melhor marceneiro da região e suas mercadorias eram as mais procuradas. Estava  conversando com o famoso marceneiro quando a minha atenção foi desviada  pelo canto mavioso de um canário belga, branco avermelhado  que, sem se importar com a grande aglomeração de pessoas ao seu redor  exibia a sua melhor performance. 
Ou será que fazia isso exatamente pela grande platéia que o cercava, já que na tela da gaiola estava afixada uma placa informando que estava a venda? Não sei. Talvez quisesse mudar de dono.
  Sempre gostei do canto do belga e, estava realmente procurando um espécime cantador e aquele havia me enchido as medidas. Mas, sabia também que existem pássaros canoros que somente exibem o seu canto em determinados lugares. Se removidos entram  num solene silêncio.
Assim, desejando comprar  aquele pássaro mas querendo, também, fazer um teste com o dono, perguntei-lhe se  aquele canário  cantava em qualquer lugar ou apenas no estande. O marceneiro que também era famoso na região como excelente criador de canários belgas não gostou da minha insinuação e na presença de todos os que ali estavam desafiou-me: “Seu Juarez, esse é o melhor canário que já criei. Já recusei um dinheirão por ele aqui na feira. Estou até disposto a não mais vendê-lo. Mas como é para você a gente faz uma aposta.  Levo o canário e coloco na parede da sala onde está o Banco. Se dentro de 5 minutos ele não cantar igual o que está cantando aqui, o canário é seu, mas, se cantar  você me paga  o valor que estou vendendo”.
Era um valor  relativamente alto para um canário, mas  desejando adquirir o bichinho que era realmente bom  e ainda com a possibilidade de o belga não cantar dentro do Banco, topei a parada.
Foi uma procissão. Tinha para mais de 20 pessoas seguindo o carpinteiro que à frente e com a gaiola na mão, imitando um garção, se dirigia ao Banco. Sem muita arrumação colocou a gaiola no primeiro prego que encontrou na parede e marcamos  os longos 5 minutos. Longos para mim mas creio que rapidíssimos para o dono do canário. A orientação, dada pelo próprio dono do canário, era que o ambiente continuasse  como era, todos falando e fazendo os negócios bancários.
Passou o primeiro minuto registrado com gritos por todos os presentes. Passou o segundo, também com manifestação. Passou o terceiro minuto, também comemorado. Durante todo esse tempo, um século para mim enquanto que podia ver a ansiedade estampada no rosto do marceneiro, o canário apenas olhava para todos, totalmente desinformado e alienado do que estava passando a sua volta.   
Entra no quarto minuto e o canário começa a se movimentar dentro da gaiola deixando a posição estática e observadora que vinha mostrando. Esgotou-se o quarto minuto e entramos no quinto minuto. Intimamente já me considerava dono do canário quando para meu desgosto – ou alegria? – o pássaro  inicia o melodioso canto que a alguns dias vinha encantando todos os que frequentavam a barrada do seu dono.
Nada mais tinha a fazer. Emiti o cheque e paguei o preço exigido pelo marceneiro.
Fiquei com esse canário até o dia em que fui transferido para a Agência de Aracaju. No momento da minha saída dei-o de presente ao filho da empregada que era na realidade quem tomava conta, limpava a gaiola e dava comida.
O garotinho não acreditou no grande presente. 
Pensou que eu estava brincando. 


Fotos do Rio São Francisco: BARCA E CANOA


A BARCA E A CANOA

Era o tempo das barcas à vela e à vara, quando imperava a carranca abrindo os caminhos pelo Velho Chico.
Contudo, para o canoeiro ou "paqueteiro", como era chamado em Xique-Xique (BA), a visão da grande barca era sempre motivo de admiração, pois inevitável a comparação com a sua pequenina canoa a remo.
Piloto de canoa era, regra geral, pescador ou mini produtor que tirava o sustento da pequena lavoura plantada no humus deixado pelo rio, nas inúmeras ilhas que nele abundavam ou do pescado. Era na canoa ou "paquete" que o canoeiro trazia os seus produtos para vender na feira de Xique-Xique (BA).
A barca, no entanto, era o meio utilizado para o transporte de grandes cargas que percorriam todo o Rio São Francisco. Os barqueiros eram os transportadores e distribuidores dos produtos pelas cidades ribeirinhas, de Pirapora (MG) à Juazeiro (BA). Ganhavam no frete e, eventualmente, também exerciam o comercio ambulante e por conta própria com a venda de produtos no varejo às pequenas comunidades barranqueiras.
Hoje, ainda permanece a figura do canoeiro, remando a sua canoa, mas a barca à vela e à vara, há muito foi substituída pelas barcas a motor.
Foto: Marcel Gautherot

Evangelho Dominical: Marcos 6,1-6


Naquele tempo, Jesus foi a Nazaré, sua terra, e seus discípulos o acompanharam.
Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos que o escutavam ficavam admirados e diziam: “De onde recebeu ele tudo isto? Como conseguiu tanta sabedoria? E esses grandes milagres realizados por suas mãos?
Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, de Joset, de Judas e de Simão? Suas irmãs não moram aqui conosco?”
E ficaram escandalizados por causa dele.
Jesus lhes dizia: “Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares”.
E ali não pôde fazer milagre algum. Apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. E admirou-se com a falta de fé deles.
Jesus percorria os povoados da redondeza, ensinando.

sábado, 7 de julho de 2012

Estaleiro em Xique Xique (BA): CONSERTO DE BARCA

Antes do estaleiro situado no bairro Ponta da Ilha, as pequenas manutenções das barcas eram feitas na margem do Lago Ipueira, bastando que colocasse a barca no seco e livrasse a parte a ser calafetada.
Era um trabalho árduo e rústico que agora pode ser evitado com o trabalho técnico que está sendo feito pela estaleiro de Xique Xique  

Pôr do Sol em Xique Xique (BA): Av. J.J. Seabra

Pôr do Sol visto a partir da Avenida J. J. Seabra.
As grandes nuvens sobre o Lago Ipueira, refletem os últimos raios solares para deleite dos xiquexiquenses.
Os bares da Avenida se preparam para o atendimento aos noctívagos.

Foto Antiga de Xique Xique (BA): Igreja Matriz com balaustrada

Há muitos anos, talvez lá pela década de 1940, muito antes da existência do jardim na Praça D. Máximo, a nossa Igreja do Senhor do Bonfim possuía uma balaustrada na parte da frente, como mostra a foto.
Não sei para que servia e o porquê da retirada.

Parque Aquático de Xique Xique (BA): O SURUBIM:

O Parque Aquático de Xique Xique (BA) é o único no gênero entre as cidades à margem do Velho Chico bem como entre as cidades à margem da rodovia BA.52 que leva a Salvador.
O Parque já se tornou  um grande polo de entretenimento da região e nos fins de semana é grande o fluxo de ônibus e carros particulares que demandam ao local em busca de diversão.
Logo na entrada do Parque, chama atenção  a escultura de um grande Surubim, peixe característico do Rio São Francisco e muito apreciado na cidade pelo excelente sabor.
A escultura permite que os visitantes percorram o seu interior e conheçam os órgãos vitais  desse peixe.


Foto Interessante em Xique Xique (BA): ELEIÇÕES 2012

Este é um ano de eleições, também, em Xique Xique (BA).
Será que  o inusitado  acontecido nas eleições passadas continuará? 
A UNIÃO ENTRE OS IRRECONCILIÁVEIS E INIMIGOS FIGADAIS  PSDB e  PT ?

Lago Ipueira em Xique Xique (BA): VIA FLUVIAL

O nosso Lago Ipueira ainda continua sendo a principal - talvez a única - via de transporte para os nossos ilhéus e seus produtos que são trazidos para serem vendidos na feita livre semanal.
Sem ele esses nossos munícipes ficariam, literalmente, ilhados. 

Enchente de 1979 em Xique Xique (BA): Fotos inéditas

Essa rua não mais existe pois foi destruída para a construção do Paredão.
O lado esquerdo é a continuação da loja "Miscelânia" de Florzinho. Nesse lado funcionaram as Coletorias Federal e Estadual. 
No lado direito estavam os armazéns de comércio e no final da rua ficava a loja do Sr. José Francolino José do Santos (Seu Gringo).
No fundo, à esquerda, estava a Farmácia Universo, do Sr. João Rodrigues Soares que foi o nosso 2º Prefeito Municipal (1951/1955) e à direita, era o armazém do Sr. Luiz Alves Bessa (Seu Lulu).
Os vapores ancoravam nos fundos do casario à esquerda.´
Mais ao fundo destaca-se um alto prédio, que era o Ed. Glorinha, um hotel de propriedade do Coronel Lithercílio Rocha. A partir do Ed. Glorinha tinha início a Rua Benjamim Constant (Rua do Perau), famosa por ser local de residência da prostitutas na época.
O Paredão teve o poder de destruir essa parte da nossa história.

O Paredão teve o poder de destruir essa nossa hist

Foto Aérea de Xique Xique (BA): PAQUETÓDROMO

Esta é uma foto que poderia estar no rol das "interessantes".
Próximo ao Parque Aquático de Xique Xique,  uma parte da margem do Lago Ipueira ficou livre do "Paredão" e as pessoas podem ter acesso direto à beiro do rio.
Esse ponto, talvez pela facilidade de acesso, foi escolhido pelo donos dos "paquetes", pequenas e individuais embarcações, para ser uma espécie de "estacionamento".
O fotógrafo Cincinato  foi feliz nessa tomada.


Cantinho da Seresta: SAUDADES DE AMÉLIA



O Blog JUAREZ MORAIS CHAVES fez uma seleção de músicas genuinamente brasileiras, tocadas e cantadas na segunda metade do século passado, principalmente nos anos 1960, "cifradas" para violão e que, semanalmente, estarão sendo divulgadas.

Dinheiro, Deuses & Poder: AUGUSTO (Divus)/Touro

DENÁRIO - 18 mm, 3,77 g - (15/13 a. C)
As moedas em circulação no período da vida de Cristo geraram mais versões do que fatos provados. A frase Dai a César o que é de César,  da Parábola, tanto pode  se referir a Júlio César quanto a Tibério César ou Augusto. Júlio morreu meio século antes de Cristo. Tibério Governou como sucessor de Augusto, que aparece no denário com um touro no reverso. Tibério, portanto, era o César que o cidadão comum relacionava à cobrança escorchante de taxas pelos romanos na época de Cristo.
Fonte: Coleção Spínola - Nomus Brasiliana





Arte Sacra na Bahia: SACRÁRIO DE PRATA

Sacrário monumental, da segunda metade do século XVIII, em prata fundida, modelada, repuxada e cinzelada. 
Seus pontos altos são o dossel sobre a porta, as cariátides que lhe flanqueiam e sua ornamentação em desenhos de rocalha  (D. José I).
Este Sacrário está na capela-mor do Convento de Santa Clara do Desterro em Salvador (BA).
Fonte: Bahia - Tesouros da Fé
Foto: Sérgio Benutti

Foto Denúncia: GINÁSIO DE ESPORTE GOV. OTTO ALENCAR

Enquanto muitas cidades do interior lutam para possuir uma local adequado à prática de esporte, nossa Xique Xique (BA), que dispõe de um desses equipamentos se dá ao luxo de deixá-lo abandonado e em franca deterioração.
Não sei a quem pertence  o "Ginásio  de Esporte Gov. Otto Alencar, se ao Estado ou ao Município.
Mas isso não importa vez que ambos  utilizam dinheiro do erário.
É preciso que os xiquexiquenses acordem para esse tipo de destruição dos bens públicos e exerçam pressão junto aos nossos governantes no sentido de dar a devida manutenção e segurança aos
 mesmos.

Foto Edson Nogueira: A PRAÇA E A IGREJA

Praça D. Máximo em Xique Xique (BA).
Em primeiro plano, pequeno anfiteatro e ao fundo a majestosa Igreja do Senhor do Bonfim, padroeiro da cidade.

COMEMORAÇÃO DO DIA

HOJE SE COMEMORA O DIA INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO.

FRASE BÍBLICA

NINGUÉM PÕE UM REMENDO DE PANO NOVO EM ROUPA VELHA, PORQUE O REMENDO REPUXA A ROUPA E O RASGÃO FICA PIOR.
Mt 9,16

Vapores do Rio São Francisco: "WENCESLAU BRAZ"


O "WENCESLAU BRAZ"
Considerado um dos melhores vapores para transporte de passageiros, navegou no Rio São Francisco até o ano de 1968, transportando mercadorias e passageiros, quando naufragou nas corredeiras do Sobrado onde hoje está localizada a Barragem de Sobradinho, na Bahia. 
 Após o naufrágio, recuperado, ainda navegou até o ano de 1975 e, em julho de 1981 foi totalmente desativado e transformado em "chata" para o transporte de carvão vegetal. 
O "Wenceslau", como era conhecido, foi mais um vapor criminosamente desativado do Rio São Francisco, deixando os ribeirinhos e a própria Nação sem o concurso de um seguro e barato meio de transpote. 
E, extrema ironia, quando navegava consumia lenha para alimentar sua caldeira e, após desativado continuou a ajudar no desmatamento agora transportando o carvão que obtido com a  queima das matas.





sexta-feira, 6 de julho de 2012

FRASE BÍBLICA

IDE E APRENDEI O QUE SIGNIFICAM AS PALAVRAS: QUERO MISERICÓRDIA E NÃO SACRIFÍCIOS.
Mt 9,13a

quinta-feira, 5 de julho de 2012

FRASE BÍBLICA

AO VER A FÉ DAQUELA GENTE, JESUS DISSE AO PARALÍTICO: "CORAGEM, FILHO, OS TEUS PECADOS ESTÃO PERDOADOS".
Mt 9,2b

quarta-feira, 4 de julho de 2012

FRASE BÍBLICA

PROCURAI O BEM E NÃO O MAL PARA QUE POSSAIS VIVER, E ASSIM O SENHOR, O DEUS TODO-PODEROSO, ESTARÁ CONVOSCO, COM DIZEIS!
Am 5,14

terça-feira, 3 de julho de 2012

FRASE BÍBLICA

É EM CRISTO QUE TODO EDIFÍCIO, HARMONIOSAMENTE DISPOSTO, SE UNE E CRESCE ATÉ FORMAR UM TEMPLO SANTO NO SENHOR.
Ef 2,21

segunda-feira, 2 de julho de 2012

domingo, 1 de julho de 2012

Lançamento de livro: Prof. Carlos Santos

O escritor xiquexiquense, Prof. Carlos Santos, lançou hoje o segundo volume das suas "Crônicas Xiquexiquíssimas", que desde o homônimo primeiro volume, lançado em 2004,  registra nos seus escritos fatos e histórias de Xique Xique (BA), por ele  transformados em belas crônicas.
O nosso professor e escritor é pessoa de grande liderança empresarial e cultural em nossa terra, tendo dirigido, como Prefeito Municipal, durante o período de  janeiro/1983 a janeiro/1989, os destinos do Município.
Este Blog apresenta ao escritor Carlos Santos os nossos parabéns por mais essa produção literária, ora lançada.