sábado, 31 de maio de 2014

Jornais de Xique-Xique (BA) - DE 1931 a 1932


               Os jornais registraram toda administração do prefeito José de Souza Nogueira
 
  A administração do Prefeito Municipal de Xique-Xique (BA), Coronel José de Souza Nogueira (1930-1933),  foi a que teve o maior volume de informações registradas, graças ao surgimento de dois periódicos semanais, que  deram a maior cobertura possível a todos os fatos políticos, sociais, culturais, desportivos, econômicos da gestão daquele Prefeito.
       O Jornal "A ORDEM",  circulou de 17 de julho de 1931 a 20 de dezembro do mesmo ano, totalizando 19 edições semanais consecutivas e
       O Jornal "A LUZ" circulou entre o dia 14 de fevereiro de 1932 a 28 de agosto do mesmo ano, publicando 23 edições semanais consecutivas.
       A partir desta semana este blog estará divulgando resumos das 42 edições desses dois jornais xiquexiquenses, da década de 1930, para que os leitores tomem conhecimento do que acontecia em Xique-Xique naquele tempo.
OBS: A 2ª edição do "A Ordem", foi publicada, neste blog, no dia 17 de maio 

                       Edição Nº 03 do jornal "A ORDEM"
      Datado de 31 de julho de 1931 o 3º número de "A ORDEM" tem sua principal chamada com o título "Meus Parabéns Snr. Claudemiro Miranda". Trata-se de uma correspondência mandada da cidade de  Santo Inácio (BA), assinada pelo leitor Sr.Aldo Brito. O autor cobre de elogios e estímulos o principal dirigente do jornal.
     Ainda na primeira página há a notícia de que  Monsenhor Costa havia se restabelecido, após ter recebido os cuidados profissionais do médico Dr. Oscar Coelho de Aquino.
   Finalmente, ainda na primeira página, uma correspondência enviada para o Interventor Federal do Estado da Bahia Sr. Raymundo Barbosa (15.07.1931-19.09.1931), assinada por  Sr. Antônio A. Bastos, Sr. Nestor Fortes e Sr. Agenor Paiva, solicitando ao mesmo que restaurasse a autonomia do município de Gameleira do Açuruá (BA). Os signatários apresentam fortes argumentos pelo restabelecimento da soberania política daquela localidade.
     A seção de nome "Página Humorística", na página dois, apresenta-se repleta de anedotas.
     A terceira página é praticamente de anúncios comerciais.
   Entre os assuntos da quarta página acha-se a poesia – "Resigna-te" –, de autoria de Claudemiro Miranda.
 
Fonte: "Senhor do Bonfim e Bom Jesus de ChiqueChique" de Cassimiro Neto.
342

Ruas, Praças e Avenidas de Xique-Xique (BA) - AVENIDA J. SEABRA


Avenida J.J. Seabra

Manifestação do povo, na Avenida

Festa da cidade, na Avenida

       A Avenida J. J. Seabra, é a principal de Xique-Xique (BA) e, como um eixo, corta a cidade ao meio, no sentido oeste/leste.
       Essa Avenida foi uma homenagem do Intendente Municipal Coronel Francisco Xavier Guimarães ao Dr. José Joaquim Seabra, Governador da Bahia no período de 1912/1916,  e também, em agradecimento por esse Governador haver, no ano de 1915, restaurado a Comarca de Xique-Xique (BA), tendo, de imediato,  nomeado um Juiz de Direito para a Comarca recém restaurada.
     A Comarca de Xique-Xique, criada no ano de 1857, havia sido extinta no ano de 1892, pelo então Governador da Bahia, Sr. Joaquim Manoel Rodrigues Lima (1892/1896).

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Foto aérea de Xique-Xique (BA): CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE


     O centro histórico de Xique-Xique (BA), cidade banhada pelo rio São Francisco possuindo um dos melhores portos fluviais do "Velho Chico".

Lago Ipueira em Xique-Xique (BA): PORTO FLUVIAL


    O Rio São Francisco, ao banhar Xique-Xique (BA) forma uma espécie de lago altamente apropriado para as barcas que ali navegam.
    Segundo os barqueiros é um dos melhores portos do "Velho Chico".

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Foto Denúncia: Mercado do Peixe de Xique-Xique (BA)

Aguardando a chegada dos cães e gatos.

Bancas impróprias para o pescado fresco.
É uma vergonha! O povo de Xique-Xique (BA) e cidades vizinhas  continua se alimentando do pescado infectado pela sujeira das bancas.
Ninguém toma providências no sentido de higienizar o mercado.
O nosso Promotor de Justiça, o nosso Gestor Municipal e principalmente os nossos Vereadores, legítimos representantes do povo, continuam omissos se fazendo de mortos.
 

Parque Aquático de Xique-Xique (BA) - PISCINAS E BRINQUEDOS.

Piscinas repletas (foto Markileide Oliveira)


Muitas opções
Nos finais de semana o Parque Aquático fica repleto de pessoas a procura de lazer. Muitos vindos de outras cidades vizinhas para aproveitar as inúmeras opções oferecidas pelo Parque.
 

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Aconteceu em Xique-Xique (BA), no século XIX - OBRAS E METALURGIA


A Câmara propõe nomes para a Comissão de Obras

No dia 29 de dezembro de 1858 a Câmara Municipal de  Xique-Xique (BA) propõe ao Presidente da Província da Bahia, Dr. Francisco Xavier Paes Barreto (28.09.1858-19.04.1859), os nomes do tenente-coronel José Rufino de Magalhães, do Sr. Manoel Pereira Bastos e do Sr.Francisco Mariani para compor a Comissão de Reparos da Câmara, da Cadeia Pública e da Sala das Sessões do Júri.


Presidência da província comunicou concessão de licença
Em Ofício datado de 11.01.1859, endereçado à Câmara Municipal de Xique-Xique, o Presidente da Província da Bahia, Dr. Francisco Xavier Paes Barreto (28.09.1858-19.04.1859) informa  que concedeu à Cia. Metalúrgica do Açuruá uma licença de exploração de ouro e de outros metais e pedras preciosas pelo prazo de 30 anos, no perímetro de 04 léguas, no lugar denominado Gentio do Ouro pertencente ao município de Xique -Xique (BA).
Fonte: "Senhor do Bonfim e Bom Jesus de Chique-Chique", de Cassimiro Neto.
92

Aconteceu em Xique-Xique (BA), no século XX: GARIMPO DO RUMO

Além do ouro da Serra do Açuruá, município de Gentio do Ouro (BA), o cristal de rocha de primeira qualidade, também teve grande procura por parte do garimpeiros de Xique-Xique (BA).
O garimpo de cristal, mais importante foi o que aconteceu em Xique-Xique (BA), no final da década de 1930 e que ficou conhecido como GARIMPO DO RUMO, localizado aproximadamente 40 km ao norte da cidade sede.
O escritor xiquexiquense Prof. Carlos Santos trata desse assunto com muita propriedade na sua obra  Crônicas Xiquexiquíssimas,  (Neograf – São Paulo – 2004), páginas 29, 30 e 31. Vejamos:
 
                               O GARIMPO DO RUMO        Em 1938, na Serra do Rumo, descobriu-se a mais famosa e histórica mina de cristal de rocha do nosso município. Naquela época o Garimpo do Rumo foi o maior gerador de riquezas, superando o produto bruto gerado pela cera de carnaúba e pelo pescado.
     A fama do novo Eldorado trouxe para Xiquexique uma nova e inesperada população formada por indivíduos dos mais distantes pontos do País. No auge da produção, aquele garimpo foi considerado mais populoso do que mesmo a sede do município.
Era para lá que convergiam as novidades e as diversões de todos os matizes, tais como circos, parques, cinemas, etc. Naquele tumultuado ambiente, a multidão perdia a noção do tempo, não sabia, inclusive, em qual dia da semana se estava vivendo. Todo dia era dia de festa, todo dia surgiam novos milionários. A extravagância não tinha limites. Fumavam-se cigarros de fumo picado enrolado em papel moeda em sinal de que o dinheiro era farto e feito para ser gasto.
    Os sanfoneiros se revezavam nas intermináveis festanças, acontecidas nos inúmeros meretrícios abarrotados de mulheres das mais diversas categorias, sendo em verdade, a maioria absoluta, formada por verdadeiras catraias.
     Água potável era deveras difícil, apanhada no Estreito e carrega em corotes, em lombos de jumentos, a uma distância de nove quilômetros do fuzuê. O comércio de água era praticado por aqueles desafortunados que a sorte ainda não havia bafejado.          
     Estes, então, tentavam fazer fortuna com algo mais fácil de obter do que o cristal. Assim o precioso líquido era vendido em latas de vinte litros a custo mais elevado do que mesmo os vidros de perfumes ou água-de-cheio com que as rameiras tomavam banho.
   A abundância do cristal de rocha extraído sem muito trabalho nas minas do garimpo do Rumo foi espantosa. O casario, desordenadamente, arruava-se com as bibocas que serviam como pontos de apoio, sempre por pouco tempo, ou seja, até que a euforia levasse todos para novas escavações, novas esperanças. À proporção que surgiam novos veios o povaréu partia naquela direção, deixando abandonados os rústicos casebres.
 
OBS: O Garimpo do Rumo durou apenas 4 anos tendo sido destruído por um grande incêndio no ano de 1942. A atual população da comunidade Rumo, vive atualmente da agricultura e pouco se lembra do passado.
425
 

Aconteceu em Xique-Xique (BA) no século XXI: CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA


 I Conferência Municipal de Cultura
– 28 e 29 de setembro de 2009 –

      Na cidade de Xique-Xique (BA), nos dias 28/29.09.2009, aconteceu a I Conferência Municipal de Cultura, no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, situado na Rua Cincinato Figueiredo Rocha, bairro São Francisco de Assis.
     A Secretaria Municipal de Educação e Cultura, sob a liderança do Sr. Filemon Nery Nepomuceno, hipotecou apoio integral marcante e importante acontecimento.
    Entre os idealizadores do evento figuraram os nomes da artista plástica Aricélia Oliveira, do escultor Roldão Lima e da cantora Giselda Pinheiro Meira.
   Contribuíram de forma decisiva, para o sucesso do evento, Markileide Oliveira, Suzzane Nogueira e Danúbia Barreto.
   Houve uma excelente participação de convidados e público participante.  
Fonte: "Senhor do Bonfim e Bom Jesus de Xique-Xique", de Cassimiro Neto
1079

terça-feira, 27 de maio de 2014

Barcas que navegam no Rio São Francisco: "ANNE SOFIA"


A barca "Anne Sofia" é uma das que, constantemente, estão ancoradas no porto fluvial  de Xique-Xique (BA).

Ruas, Praças e Avenidas de Xique-Xique (BA) :PRAÇA DOM MÁXIMO

Canteiro central do jardim

Canteiro central do jardim

Canteiro central do jardim (noite)

Segundo a tradição a  Praça Dom Máximo foi o primeiro logradouro de Xique-Xique (BA), pois, fora ali que, segundo a lenda da origem da cidade, ali  teria sido construída uma capela para  colocar a imagem do Senhor do Bonfim, que até hoje está na atual Matriz, situada na mesma praça e, no mesmo local, segundo os velhos moradores. 
     Pelos registros históricos, a Praça é mencionada  antes de 1700, quando afirmam que nesse  ano, ali já habitava uma pequena comunidade de pescadores que tinha como denominação   "Senhor do Bonfim e Bom Jesus de Chique-Chique" .
     O nome de Dom Máximo foi outorgado por decreto de 06 de julho de 1932, quando do centenário da cidade, pelo Prefeito Municipal coronel José de Souza Nogueira (1930-1933), em homenagem a um sacerdote xiquexiquense que se tornara bispo em uma cidade maranhense.
     O jardim foi construído na  administração do prefeito João Rodrigues Soares, que governou a cidade de janeiro de 1951 a abril de 1955

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Enchente de 1979 em Xique-Xique BA - PRAÇA 6 DE JULHO

Feira livre na Praça 6 de julho (1979)
A cheia do rio São Francisco no ano de 1979 alagou grande parte da cidade de Xique-Xique (BA) inclusive a área da feira livre cujos feirantes tiveram que se mudar para a Praça 6 de Julho (Pr. da Caldeira) e ali ficaram até o recuo das águas.
Foto: Afonso

Adutora do Rio São Francisco: XIQUE-XIQUE (BA)


 ADUTORA DO RIO SÃO FRANCISCO EM XIQUE-XIQUE (BA).

 Cidade de Xique-Xique (BA), local da captação da água.
 
 Xique-Xique (BA), cidade na margem do Rio São Francisco, fornecedora da água.
 

Centro Histórico da cidade de Xique-Xique (BA).


A Adutora vara a seca caatinga, paralela à rodovia BA.52 (Xique-Xique  a Salvador).. 



Captação da água em Xique-Xique (BA).
     Com investimento de R$ 182 milhões de reais, foi inaugurada em maio de 2013, "Adutora do Rio São Francisco" que, partindo da cidade de  Xique-Xique (BA), onde capta água do Rio São Francisco, é uma das maiores do Estado e vai abastecer mais de 330 mil pessoas em dezesseis municípios situados na região da caatinga baiana, entorno do Município de Irecê (BA).
      A partir da captação da água em Xique-Xique (BA), primeira etapa, foram implantadas cinco estações elevatórias e, em Itaguaçu da Bahia (BA), uma Estação de Tratamento de Água (ETA).
       A Adutora do Rio São Francisco foi realizada em três etapas: a primeira de Xique-Xique (BA) até Itaguaçu da Bahia (BA); a segunda fase compreende o trecho  entre Itaguaçu da Bahia (BA)  e a cidade de Central (BA), a 75 km de Xique-Xique (BA). A terceira etapa da obra  vai da cidade de Central (BA) até a cidade de Irecê (BA).
      Da captação em Xique-Xique (BA)  a água destinada à população da região beneficiada vai percorrer 122 quilômetros e foi a alternativa encontrada para o atendimento das  16 cidades situadas na  caatinga baiana que vêm sofrendo com a falta de chuvas.



Adutora rasga a caatinga rumo às 16 cidades sem água

domingo, 25 de maio de 2014

Recordando as copas - 1998 França

Estádio francês 1998

França no topo, sob a batuta de Zidane
     A décima sexta copa, com 64 jogos  e 171 gols, foi realizada na França no ano de 1998 ocasião em que a França sagrou-se  campeão mundial. O jogo final foi realizado contra o Brasil que perdeu por 3x0.
   A geopolítica volta a em bolar o meio-campo: a separação da Tchecoslováquia e o desmembramento da Iugoslávia tornam as eliminatórias europeias ainda mais disputadas.
   Terceira colocada na Copa, a estreante Croácia tinha em seu elenco jogadores que haviam atuado no passado pela Iugoslávia. O meia Prosinecki se tornou o primeiro - e único - a marcar gol por dois países diferentes na Copa.
    Lesão, convulsão, crise nervosa.
    Foi realizada até uma CPI para entender o que aconteceu com Ronaldo no dia da final. O fato é que a seleção entrou em campo nervosa.
    É até hoje a única derrota do Brasil por três gols de diferença em Copas.
    Aos 37 anos, o alemão Lothar Mattäus se tornou o jogador com mais partidas em Copas: 25 em cinco edições.

     A Copa do Mundo de 1998, na França, abriu mais oportunidades para o sonho de várias nações de disputar um Mundial. Em vez de 24 participantes, o torneio foi organizado com 32 equipes. Por isso, África do Sul, Japão e Jamaica conseguiram se classificar pela primeira vez na história. O regulamento dividiu os participantes em oito grupos, com quatro times em cada. Os dois melhores de cada chave passariam para as oitavas de final.
    O torneio também teve um momento histórico. Irã e Estados Unidos, que desde 1979 eram ferrenhos inimigos políticos, caíram no mesmo grupo. Nenhuma das seleções conseguiu se classificar para a segunda fase do torneio, mas os iranianos comemoram muito a vitória sobre os Estados Unidos. Americanos e iranianos deram exemplo de esportividade: posaram para fotos abraçados e trocaram gentilezas. No fim, o placar apontou 2 x 1 para o Irã.
     Mesmo com as mudanças, as zebras continuaram a aparecer. A Espanha, por exemplo, despediu-se de forma precoce depois de perder da Nigéria e empatar com o Paraguai. Mas foi a Croácia de Davor Suker que se tornou a maior surpresa da Copa. Separados da Iugoslávia, pela primeira vez os croatas jogavam como nação independente. E a seleção comandada pelo técnico Miroslav Blažević mostrou muita força.
     Na primeira fase, vitórias sobre Jamaica e Japão, que garantiram o segundo lugar do grupo, atrás apenas da Argentina. Nas oitavas de final, os croatas despacharam a Romênia, com vitória por 1 x 0, gol de Suker. Mas foi nas quartas de final que a Croácia conseguiu o resultado mais impressionante. Diante da tricampeã Alemanha, os croatas não se intimidaram e venceram por incontestáveis 3 x 0.
     Na semifinal, no entanto, os croatas tiveram que encarar a anfitriã França. Suker ainda conseguiu abrir o placar, marcando seu sexto gol na competição e garantindo a artilharia, mas o francês Lilian Thuram escolheu justamente aquela partida para desencantar. Ele nunca havia marcado com a camisa da seleção francesa. E, logo na semifinal, fez dois de uma vez, para decretar a vitória dos franceses.   
     Depois de verem a geração de Michel Platini ser eliminada duas vezes nas semifinais, os franceses viam a própria seleção com alguma desconfiança. Zinedine Zidane, que antes do Mundial chegou a dizer “eu vou ganhar essa Copa”, teve atuações apagadas até a final e chegou a por em risco a classificação na primeira fase ao pisar em um adversário, ser expulso e pegar dois jogos de suspensão. Mesmo assim, os franceses venceram os três primeiros jogos e avançaram em primeiro lugar do grupo.
     Nas oitavas de final, no entanto, o sufoco foi grande. Sem Zidane, a França teve de suar muito para superar a retranca do Paraguai, que contava com o polêmico goleiro Jose Chilavert e o excepcional zagueiro Carlos Gamarra. O gol da vitória só veio na prorrogação, graças ao zagueiro Laurent Blanc.
     Zidane voltou nas quartas de final, diante da Itália, e ajudou a França a vencer nos pênaltis. A semifinal, contra a Croácia, também foi emocionante: Thuram precisou marcar seus dois primeiros gols com a camisa da seleção francesa para que o time vencesse e avançasse à final.
    Contra o Brasil, campeão em 1994, Zidane finalmente mostrou seu futebol exuberante. Já no primeiro tempo, o camisa 10 marcou dois gols e abriu 2 x 0 no placar. Perdido em campo, os brasileiros não tiveram forças para reagir e coube a Emmanuel Petit a tarefa de fechar o placar, antes do apito do árbitro marroquino Said Belqola, o primeiro africano a comandar uma decisão de Copa do Mundo da FIFA. A França era campeã pela primeira vez na história e a festa tomou conta de todo o país, com destaque para os cerca de um milhão de torcedores que lotaram a avenida Champs Élysées.
 
Onde está Ronaldo?
    Como campeão da Copa de 1994, o Brasil nem precisou disputar as Eliminatórias para o Mundial da França. A preparação teve de ser feita por meio de amistosos. Mesmo assim, a confiança era alta, já que a Seleção contava com Ronaldo, eleito pela FIFA nos dois anos anteriores o melhor jogador de futebol do mundo.
Os problemas, no entanto, começaram antes mesmo da Copa. Romário, ídolo na campanha do tetra, foi cortado por contusão pelo técnico Zagallo pouco antes do Mundial. Na época, o Baixinho jurou que a lesão era leve, mas a comissão técnica mostrou-se irredutível. O atacante nunca se conformou.
     Sem Romário, o Brasil contava com Ronaldo, Bebeto e Rivaldo. Mas, na primeira fase, o melhor jogador do apático time foi o volante César Sampaio. Nas duas primeiras partidas, vitórias sobre Marrocos e Escócia. A derrota para a Noruega, no entanto, expôs os problemas do time, embora não tenha comprometido a vaga na segunda fase.
     Uma goleada fácil sobre o Chile nas oitavas de final voltou a animar a torcida. Nas quartas de final, Rivaldo brilhou e marcou dois gols na vitória por 3 x 2 sobre a Dinamarca. Na semifinal, diante da Holanda, a glória coube ao goleiro Taffarel. O jogo terminou empatado e a decisão foi para os pênaltis. O camisa 1, então, se consagrou ao defender duas cobranças e colocar o Brasil em mais uma final.
    A decisão, no entanto, foi um verdadeiro balde de água fria para os torcedores brasileiros, que viram um time apático ser totalmente dominado pela França e perder por 3 x 0. 
    Um episódio ocorrido antes do jogo e até hoje não esclarecido totalmente entraria de vez para as lendas das Copas do Mundo. O atacante Ronaldo sofreu uma convulsão horas antes da partida decisiva. A entrada de Edmundo no time titular chegou a ser anunciada pouco antes do jogo. Depois de ser avaliado por médicos, Ronaldo foi liberado para jogar e entrou em campo. Os companheiros do atacante, preocupados com a saúde do craque, teriam jogado sem foco. E o próprio Ronaldo mostrou-se irreconhecível em campo.
Fonte: FIFA
 
Seleção de 1998
 

Reavivando a memória - ELEIÇÕES EM XIQUE-XIQUE (BA)

                                ELEIÇÕES EM XIQUE-XIQUE (BA)

      2014 é um ano de eleições para deputados estaduais e federais e outras coisas.
    Com certeza, logo Xique-Xique (BA) estará recebendo as visitas dos deputados "cometas", ou seja, aqueles que só aparecem de quatro em quatro anos a cata de votos dos incautos.
     Se  analisarmos o que eles fizeram pela cidade nesses últimos 4 anos em que reinaram nas assembleias estaduais e federais, chegar-se-á à conclusão de que nada fizeram. E, até chegaram a esquecer a localização da cidade de Xique-Xique (BA).
     O jornal "A Tarde", de Salvador, do dia 24.01.2014, informa que cada deputado estadual da Bahia, irá receber, a cada ano,  R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais) para ser aplicado da seguinte forma:
            R$  600.000,00 em saúde;
            R$  300.000,00 em educação;
            R$  300.000,00 a critério do deputado.
    Na eleição de 2010, o Município de Xique-Xique (BA) votou em 170 (cento e setenta) candidatos a deputado estadual e em 131 candidatos a deputado federal.
          Os 10 (dez) candidatos a deputado estadual mais votados foram:
            Reinaldo Braga.................. 10.058 votos;
            Marivaldo Figueiredo.......    3.187 votos;
            Luizinho Sobral...............     2.675 votos;
            Cacá Leão.......................      1.063 votos;
            Prof. Bruno......................        626 votos;
            Joaci Dourado..................        495 votos;
            Marcelino Galo.................       341 votos;
            Pastor Arimaiteia.............        136 votos;
            Ferreira Otomar.................        87 votos;
            Neuza Cadore...................         86 votos.
            TOTAL............................   18.754 votos
     Gastamos com esses candidatos, sem nenhum resultado para nossa cidade 92,74 % dos nosso 20.220 votos válidos na eleição passada.
      No que pese sermos um Município com 50.000 habitantes os candidatos que receberam os nossos votos e se elegeram não prestigiaram a cidade que continua sem hospital e com a assistência médica e saúde pública  em situação precária.
       Seria bom que na eleição deste ano os nossos votos para deputado estadual e deputado federal fossem concentrados em um pequenino número de candidatos que realmente estejam comprometidos com a população de Xique-Xique (BA), principalmente na questão da saúde.
       Essa é a hora de dar o troco e prestigiar os candidatos que se comprometam a utilizar parte da verba de R$ 1.200,000,00 que irão receber este ano na implantação de um hospital em Xique-Xique (BA).
       Se deixarmos passar essa oportunidade de ouro, "INES É MORTA".
        Para conhecimento dos conterrâneos, publico a relação dos 10 candidatos mais votados para deputado federal, de um total de 131.
           José Rocha............................4.102 votos
           Felix Junior.........................  2.934 votos
           João Bacelar   ...................    2.879 votos
           João Leno.........................     2.114 votos
           José Carlos.....................       1.981 votos
           Bebeto.....................................917 votos
           Antônio Imbassay................... 915 votos
           Valmir Assunção ................... 397 votos
           Afonso Florência.................... 335 votos
            Zezeu Ribeiro........................ 315 votos
                TOTAL..........................16.889 votos

    Façamos valer o nosso voto em troca de algo concreto e importante para Xique-Xique.
    É com nosso voto, elegendo pessoas comprometidas com a cidade que iremos conseguir coisas boas para  o povo.

sábado, 24 de maio de 2014

Pôr do Sol em Xique-Xique (BA): PORTO FLUVIAL


       O pôr do Sol por detrás da Ilha do Gado Bravo, em frente à Xique-Xique (BA), evidencia o pernoite das barcas no porto fluvial da cidade.

Xiquexiquenses Ilustres: ZULMIRA MARÇAL DA SILVA

     ZULMIRA MARÇAL DA SILVA, nasceu no dia 10 de outubro de 1928no Distrito de  Iguira, Xique-Xique (BA), filha do Sr. José Marçal da Silva e de D. Júlia Rosa da Silva.  Em sua infância, adolescência a juventude, Zulmira  não teve fartura de instituições de ensino para estudar. Contudo, a vila de Marrecas teve uma Escola Isolada, mantida pelo município, com uma professora leiga, que preparou sua geração ao nível ou mais do que o atual ensino primário. Era uma educação bastante expressiva.
     Entre as muitas ocupações profissionais Zulmira  trabalhou como Oficial do Cartório do Registro Civil das Pessoas Naturais no distrito de Iguira, foi Auxiliar Administrativa da Coletoria Estadual de Xique-Xique, datilógrafa da Prefeitura Municipal de Xique-Xique, Tesoureira da Prefeitura Municipal de Xique-Xique, durante a administração do prefeito José Peregrino de Souza e auxiliar operacional de laboratório clínico.
      Mas, a atividade que mais a enobreceu foi a assistência que dava à saúde dos xiquexiquenses. Durante o tempo em que trabalhou em Laboratório, aprendeu a aplicar injeções e assim não media esforços para atender em domicílio a qualquer um que precisasse daquele tipo de medicamento.
      Zulmira Marçal da Silva se aposentou no dia 28 de novembro de 1978.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Ruas, Praças e Avenidas de Xique-Xique (BA): RUA JOSÉ PEREGRINO DE SOUZA

Feira livre

Cruzamento com a Rua Ruy Barbosa

O começo, vendo-se o "paredão"

A Rua José Peregrino começa na Av. Barão do Rio Branco. É a 5ª rua perpendicular ao Rio São Francisco, pelo lado norte da Praça D. Máximo. 
O nome da rua é uma homenagem ao Sr. José Peregrino de Souza que foi prefeito de Xique-Xique no período de 1955 a 1959.
Foi o Prefeito José Peregrino de Souza que construiu o Ginásio Senhor do Bonfim, no ano de 1959.
Faleceu no dia 24.03.1964. 

Foto antiga de Xique-Xique (BA): RUA BENJAMIM CONSTANT


Esta foto é de 1949 e mostra o início da Rua Benjamim Constante, também conhecida como "Rua do Perau". 
O lado direito da rua, lado oeste, que ficava na margem do Rio São Francisco, foi totalmente demolida para dar lugar ao "paredão".
O lado leste, foi abandonado pelos moradores e está atualmente sendo depredado. 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Barcas de "tolda": Porto Fluvial de Xique-Xique (BA)


Quando ainda não tínhamos água encanada e as lavadeiras iam para a "beira do rio" lavar roupas, as barcas que navegavam pelo Rio São Francisco eram movidas a vento e à vara e se denominavam de "barcas de tolda".

Foto: Marcel Gautherot

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Arte Sacra na Bahia: NOSSA SENHORA


Nossa Senhora com a coroa de D. João VI. Alto relevo em madeira dourada e policromada  da segunda metade do século XVII, medindo 110cm x 110 cm.
Por  decreto D. João VI dedicou Portugal e seus domínios à Conceição Imaculada.
A virgem atesta o padroado portando a coroa do reino de Portugal.
Peça pertencente ao Museu de Arte Sacra da Bahia.
Fonte: "Bahia: Tesouro da Fé"
Foto: Sérgio Benutti 

Gestores de Xique-Xique (BA): CÂMARA DE VEREADORES DE 1876


Nova composição da Câmara de Vereadores.

Em 08 de novembro de 1876 a Câmara Municipal de Xique-Xique (BA), tem a seguinte composição: João Batista Avelino, Felipe Nery Teixeira, Praxedes Xavier da Rocha, Inocêncio da Costa Torres, Hermenegildo de Souza Nogueira e José Francisco Guimarães.
Fonte: "Senhor do Bonfim e Bom Jesus de Chique-Chique", de Cassimiro Neto
120

Foto do Rio São Francisco: CHEGADA DO VAPOR

Mesmo nas pequenas comunidades era assim que ficava a beira do rio quando o vapor apitava que estava chegando. Todo o povo corria e ficava aguardando a colocação da "prancha" para ver o desembarque dos passageiros e da tripulação com roupa de marinheiro. Era uma festa.
Foto: Marcel Gautherot


terça-feira, 20 de maio de 2014

Foto denúncia - "FAVELA" em Xique-Xique (BA).

"Favela" no Rio São Francisco

Na cidade de  Xique-Xique (BA) uma "favela" se formou na margem do Rio São Francisco, em frente à cidade e está crescendo a todo vapor com a complacência e omissão do representante local do Ministério Público da Bahia, do Gestor Municipal e dos Vereadores eleitos como representantes do povo.
Nem neste ano, de eleições esses cidadãos se sensibilizam com o atentado à saúde pública da cidade e a agressão ao meio ambiente.
Os dejetos humanos são lançados diretamente nas águas do rio, as mesmas que são usadas pela população. 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Estaleiro em Xique-Xique (BA): "RAINHA DO MAR"


A barca "Rainha do Mar", prestes a ser lançada, novamente no Rio São Francisco, agora com o casco totalmente restaurado, em aço.

Foto Interessante em Xique-Xique (BA): VELHA BARCA


Após navegar por muitos anos no Rio São Francisco, a velha barca, abandonada ao tempo, comtempla, da beira do rio, as novas barcas que lhe sucederam na navegação.

Baixio de Xique-Xique: O PROJETO DE IRRIGAÇÃO.

 
       Baixio de Xique-Xique (BA): O PROJETO DE IRRIGAÇÃO

Tomada d'água no Município de Xique-Xique (BA).

     Informo aos seguidores e leitores deste Blog que a população da cidade de Xique-Xique (BA) não concorda com a denominação de "BAIXIO DE IRECÊ" dada ao Projeto de Irrigação que está sendo implantado no Município de Xique-Xique (BA), local onde estão situados o "BAIXIO" A SER IRRIGADO e a ÁGUA necessários à existência do referido Projeto de Irrigação. 

      Denominá-lo de "BAIXIO DE IRECÊ" é um grande equívoco e, acredito mesmo, que os habitantes da cidade de Irecê (BA) não devam sentir-se confortáveis com essa indevida denominação pois, sabem mais que ninguém, que naquele Município não existe "baixio irrigável" e nem água para irrigação além de ficar a uma distância de mais de 100 km da margem do Rio São Francisco, local da tomada d'água e do canal principal, ambos no Município de Xique-Xique (BA), (fotos). 

    Como acredito não serem eles os autores da equivocada denominação e sim que tenha partido de algum técnico que desconhece a realidade dos fatos, bem que os habitantes da cidade de Irecê poderiam ser parceiros dos Xiquexiquenses nesse pleito de mudança do nome do Projeto para "BAIXIO DE XIQUE-XIQUE", a não ser que queiram compactuar com essa usurpação

Canal principal do Baixio, no Município de Xique-Xique (BA).


Canal Principal no Município de Xique-Xique (BA).

domingo, 18 de maio de 2014

Recordando as copas: 1994 - Estados Unidos

Giants Stadium - 1994

A redenção de Dunga e ascensão de Romário
 
A décima quinta copa, com 52 jogos  e 141 gols, foi realizada nos Estados Unidos no ano de 1994 ocasião em que o Brasil sagrou-se tetra campeão mundial. O jogo final foi realizado contra a Itália que perdeu por 3x2.
O desmantelamento da União Soviética em 1991 deixou as eliminatórias mais disputadas: na Europa e na Ásia, surgiram 15 novos concorrentes às vagas.
Os americanos não são os maiores fãs do futebol como conhecemos, mas possuem estádios enormes para o futebol americano. Resultado: a Copa de 1994 teve a maior média de público até hoje: 68.991 espectadores por jogo.
 Herói em 1986, Maradona saiu da Copa como vilão. Na vitória sobre a Nigéria, o exame antidoping do craque acusou a presença de efedrina. Acabou expulso do Mundial.
Romário tinha vários privilégios na concentração, que incluíam o acesso a uma vasta coleção de CDs e visitas conjugais.
Depois de marcar contra a Holanda nas quartas, Bebeto homenageou seu filho com um embalo. Mas o pai de Matheus não inventou o gesto: Cilinho já havia comemorado um gol assim em 1992, no Santos.
Brasil e Itália fizeram a primeira final de Copa decidida nos pênaltis. Roberto Baggio, craque da Azzurra, isolou a bola decisiva. Acabou. Era o tetra.
Terra do basquete, do beisebol e do futebol jogado com as mãos, os Estados Unidos se renderam ao nosso futebol, para receber a 15ª edição da Copa do Mundo da FIFA. As dúvidas sobre o envolvimento da população logo se dissiparam: o Mundial de 1994 teve o maior público da história do evento, 3.587.538 espectadores, e foi marcado por outros números igualmente impressionantes, incluindo o tetracampeonato do Brasil.
Os americanos viram de perto nada menos que 141 gols, melhor marca desde 1982. Durante as eliminatórias, 147 seleções disputaram 24 vagas. Além disso, o camaronês Roger Milla tratou de deixar outro recorde para a posteridade: ele se tornou o atleta mais velho a marcar um gol em Copas do Mundo. Milla tinha 42 anos, um mês e oito dias quando anotou o gol de honra de Camarões na derrota por 6 x 1 para a Rússia. O mesmo jogo também estabeleceu outro marco em Mundiais: o russo Oleg Salenko fez incríveis cinco gols em uma só partida.
A Copa de 1994 também ficou marcada na lembrança dos torcedores por causa de dois episódios. O primeiro foi o doping do argentino Diego Maradona. Ele foi flagrado no exame antidoping, que detectou efedrina, droga usada para emagrecer e também um poderoso estimulante. Chamado às pressas para a repescagem das eliminatórias, contra a Austrália, Maradona conseguiu entrar em forma rapidamente, perdendo 13 quilos. Na Copa do Mundo, marcou um gol contra a Grécia e depois liderou os argentinos na virada sobre a Nigéria. Mas, com o doping, foi eliminado do torneio, mesmo jurando inocência. E a Argentina deu adeus ao perder para a excelente Romênia de Gheorghe Hagi.
O segundo episódio que ficou atrelado negativamente ao Mundial foi a morte do zagueiro colombiano Andrés Escobar. O jogador fez um gol contra no jogo diante dos Estados Unidos, ainda na primeira fase da Copa de 1994. A infelicidade resultou na derrota dos colombianos, por 2 x 1, e na eliminação precoce da seleção sul-americana. Depois de voltar para casa, Escobar foi assassinado em frente a uma discoteca na cidade de Medellín. Embora nunca tenha sido completamente esclarecido, o crime teria sido encomendado por apostadores colombianos que perderam muito dinheiro com o resultado do jogo. 
Zebras em campo
Antes mesmo de a bola rolar nos campos dos Estados Unidos, algumas tradicionais seleções do futebol mundial já estavam fora da festa. Campeã da Eurocopa de 1992, a Dinamarca sequer passou das Eliminatórias, assim como a Inglaterra e a França.
Na fase de grupos do Mundial, mais zebras. A Colômbia, que contava com aquela que é considerada a melhor geração de jogadores da história do país sul-americano – Higuita, Valderrama, Aristizabal, Rincon e Asprilla, por exemplo –, foi eliminada logo na primeira fase, com derrotas para Romênia e Estados Unidos.
A Arábia Saudita, por sua vez, conseguiu a proeza de se classificar para a segunda fase da competição. Depois de vencer o Marrocos, por 2 x 1, os árabes conseguiram um triunfo histórico sobre a Bélgica. O atacante Saeed Owairan virou herói depois de sair driblando vários jogadores e marcar um dos gols mais bonitos das Copas. O sonho árabe só acabou nas oitavas de final, com uma derrota por 3 x 1 para a Suécia.
Pela primeira vez, a vitória valia três pontos. A Itália passou sufoco para conseguir se classificar. Logo na estreia, derrota por 1 x 0 para a Irlanda. Depois, uma vitória magra sobre a Noruega e um empate diante do México. A vaga só veio porque os italianos foram um dos quatro melhores terceiros colocados.  Mas a Azzurra tinha Roberto Baggio. E foi ele o salvador da pátria nas oitavas de final, diante da Nigéria. Ele fez dois gols, um deles na prorrogação. Nas quartas de final, contra a Espanha, mais um gol do meia.
A Itália teve pela frente a Bulgária na semifinal. Os búlgaros tinham Hristo Stoichkov. No auge da carreira, ele se tornou artilheiro da Copa de 1994, ao lado do russo Salenko, com seis gols. Um deles foi justamente contra a Itália. Mas Roberto Baggio marcou mais dois gols e levou os italianos para a final.
Rumo ao tetra 
O Brasil chegou aos EUA sob desconfiança. A classificação durante as Eliminatórias veio no sufoco. O técnico Carlos Alberto Parreira foi obrigado a se render ao apelo popular e convocar Romário para o último jogo das Eliminatórias, contra o Uruguai. Resultado: 2 x 0 com show do Baixinho. Depois ele provaria, definitivamente, que o povo estava certo.
O time montado por Parreira era considerado defensivo e muito cerebral. Jogadores como Mauro Silva e Mazinho foram muito criticados, sem falar em Dunga. O volante era lembrado como o grande ícone do fracasso brasileiro na Copa de 1990, que ficou conhecido como a “Era Dunga”. Mas ele voltou em 1994.
Na primeira fase, o Brasil não teve muita dificuldade, apesar de o até então capitão Raí (considerado o craque do time) ter mostrado tão pouco futebol que acabou no banco de reservas. A braçadeira passou para Dunga. Nas oitavas de final, um confronto com os donos da casa. O favoritismo era brasileiro, mas o jogo foi duríssimo e a classificação só veio a 20 minutos do fim do jogo, com um gol de Bebeto. 
Nas quartas de final, a partida mais emocionante. Os brasileiros tiveram de enfrentar a Holanda de Bergkamp, Rijkaard e Overmars. No começo do segundo tempo, a Seleção abriu 2 x 0, com direito à famosa comemoração de Bebeto, que fingiu embalar um bebê em homenagem ao nascimento de seu filho. Mas os holandeses, com Dennis Bergkamp e Aron Winter, buscaram o empate. Foi então que o lateral Branco, também muito criticado, cavou uma falta na intermediária, pegou a bola e se preparou para a cobrança. Com o chutaço, a bola fez uma curva inimaginável, quase raspou as costas de Romário e ainda bateu no pé da trave antes de morrer nas redes: 3 x 2.   
Na semifinal, mais sufoco, dessa vez contra a Suécia. O placar permaneceu inalterado até os 35 minutos do segundo tempo. Quando a prorrogação parecia inevitável, Romário apareceu por trás dos grandalhões suecos para arrematar de cabeça. O gol colocou a Seleção Brasileira na final da Copa do Mundo 24 anos depois do tricampeonato de 1970. E o adversário seria justamente a Itália, vice em 1970.
De um lado, Romário de Souza Faria. Do outro, Roberto Baggio. Os brasileiros ainda estavam engasgados com os italianos por causa da “Tragédia do Sarriá”, em 1982. Os italianos, por sua vez, também buscavam o tetra e não esqueciam que a última final entre os dois países terminara em goleada tupiniquim. 
O jogo, muito estudado de ambos os lados, teve poucas chances de gol. E o 0 x 0 perdurou até o fim da prorrogação. Pela primeira vez na história, o título mundial seria decidido nas cobranças de pênaltis. A cobrança de Romário bateu na trave e entrou. O que ninguém esperava aconteceu quando Roberto Baggio se preparou para bater. Justamente o responsável por levar uma pouco brilhante Azzurra até a final, ele se tornou o vilão dos italianos ao mandar a bola para o espaço na cobrança que definiu o campeão. O Brasil voltava a reinar, se tornava o primeiro tetracampeão e via Dunga alcançar sua redenção ao levantar a taça. Mas a Copa era mesmo do baixinho Romário.
Fonte: FIFA
Seleção de 1994